Cajón del Maipo – Embalse el Yeso – Santiago do Chile (Como chegar)

postado em: Cajón del Maipu, Chile, Lugares, Santiago | 1

 

El Yeso - Cajon Del Maipo - Sera que volto?

De uns anos pra cá, o passeio ao Cajón del Maipo tem sido muito procurado, principalmente pelos brasileiros, que parecem ter “descoberto” o  local, no passado pouco ou nada se ouvia falar do passeio ao Cajón del Maipo, apesar dele já estar lá há muitos anos.

O que é o Cajón del Maipo? É que o vale do rio Maipo, uma região cortada pelo rio Maipo e seus afluentes em meio a cordilheira dos Andes.

O principal atrativo da região é o Embalse El Yeso, um reservatório de água originada das cordilheiras abastecida pelo rio Yeso, o Embalse está a aproximadamente 2.500 metros de altitude, em uma região sem vegetação, onde a paisagem resume-se em um grande e belo lago extremamente azul em meio as montanhas de pedra e neve, nos meses do inverno muita neve.

O principal atrativo do Embalse é a paisagem, pelo caminho, aos poucos a vegetação vai dando lugar a montanhas de pedra e uma estrada de cascalho, muitas vezes bem estreita, sempre subindo e com várias curvas.

Vale a pena visita? Sim, vale muito a pena, a paisagem é deslumbrante, as montanhas desertas, muitas vezes cobertas de neve e gelo e um lago imenso, completamente azul no meio das cordilheiras. Nos meses mais frios, o local não oferece nenhuma estrutura. Muitos passeios oferecem um pique nique ou churrasco, porém acho muito tempo para ficar apreciando a mesma paisagem.

 

Como Chegar:

Existem 2 formas de conhecer o Embalse:

Por excursões: em Vans, passeios vendidos em vários pontos da cidade de Santiago, facilmente encontrado no Patio Bellavista ou no centro da cidade, próximo a praça de armas, porém os passeios normalmente exigem um numero mínimo de passageiros, podendo não atingir o mínimo na baixa temporada. As excursões são de dia inteiro e normalmente oferecem um piquenique ou um churrasco à beira do lago. O passeio é caro, entre 35 e 50 mil pesos por pessoa.

A outra opção é alugar um carro e dirigir até o destino: essa foi minha escolha e para o meu gosto é de longe a melhor opção, no caminho você passará pela vinícola Concha y Toro logo no inicio da viagem e se sair cedo e planejar bem os horários é possível fazer os dois passeios no mesmo dia, além de estar livre para conhecer outras paisagens na região como as águas termais, aquecidas pelo vulcão San José.

Alugar um carro em Santiago é muito fácil, em vários pontos da cidade existem lojas da Chilean Rent a Car, onde é possível alugar veículos com diárias a partir de 19.900 pesos (mas é um carrinho bem cachorro, com motor 0.8, não aconselho para subir a cordilheira) Alugamos um Suzuki Swift 1.4 por 29.000 pesos (com impostos, seguro e tag de pedágios já incluídos), o carro se mostrou muito bom para as subidas e com boa estabilidade. Se pensar que, em 2 pessoas gastaríamos no minimo 70 mil pesos em uma excursão, o aluguel é muito vantajoso!

  • Para alugar um veículo é preciso Cartão de Crédito, onde será feito um bloqueio de 350 mil pesos (+ ou – R$ 1.700,00) até a devolução do veículo, ter mais de 22 anos e CNH Brasileira com foto e passaporte ou identidade (o mesmo documento utilizado no aeroporto).

 

Sobre o trajeto: no auge do inverno pode ser necessário o uso de correntes ou até mesmo ser impossível chegar ao destino, pois próximo ao Embalse é comum a estrada estar coberta de gelo em algumas partes, viajamos no fim de Agosto e não tivemos problemas com gelo, já ao redor do lago tinha gelo na estrada, porém não impossibilitou a chegada até o destino. A estrada é linda, são 115km de paisagens deslumbrantes, nos últimos 15 km a estrada fica um pouco ruim, estradas estreitas com curvas fechadas e em alguns pontos onde só é possível passar um veículo por vez, porém não é tão ruim como alguns blogs descrevem, quem dirige em estrada de terra ou tem um pouco de experiencia em estradas consegue percorrer todo o trajeto sem imprevistos, no máximo um pneu furado pelo cascalho da estrada.

Paisagem do incio da viagem, logo na saída de Santiago
Paisagem do incio da viagem, logo na saída de Santiago

 

A chegada ao El Yeso, pela foto é possível ter uma ideia de como é a estrada
A chegada ao El Yeso, pela foto é possível ter uma ideia de como é a estrada

 

Abaixo um mapa do caminho, siga sempre as placas do caminho al vulcán, depois de uns 20km seguindo as placas do caminho al vulcán, haverá uma entrada à esquerda para o caminho Embale el Yeso , neste ponto começa a estrada de terra, são mais 28km nesta estrada até chegar no Embalse. Ao avistar uma área com construções militares abandonadas vocês estará muito próximo ao seu destino final, não desista.

Vire a esquedar no caminho ao Embalse El Yeso
Local onde deve deixar o caminho al Vulcan e entrar a esquerda no caminho ao Embalse El Yeso

 

Antigo Acampamento Militar - El Yeso
Acampamento militar desativado, próximo ao Embalse El Yeso

 

Mapa do Trajeto – Patio Bellavista ao Embalse el Yeso

O que levar:

Antes de partir, li em vários blogs que era imperdível uma parada em San Jose del Maipo para comprar as “deliciosas” empanadas, fizemos isso, porém nada tem de deliciosas, compramos no principal mercado/padaria da cidade e para ser sincero eram péssimas, além disso todo o trajeto na estrada caminho al vulcán existem pequenos bares na beira da estrada vendendo as mesmas empanadas, bom, para quem gosta é só parar e comprar, eu levaria um sanduíche, suco e água, mais barato e muito mais gostoso. Leve o que comer, pois ao pegar o caminho al Yeso só terá um pequeno bar, já bem próximo ao Embalse onde não tem muitas opções, aconselho a parada neste bar para ir ao banheiro.

Roupa de frio corta vento, o vento no local é forte e gelado, lembre-se que você estará a 2.500 metros de altitude, nos meses mais frios a temperatura estará próxima de zero grau.

Bota, se possível impermeável, nos meses do invernos irá caminhar por estradas com gelo e neve.

Maquina fotográfica, é uma das paisagem mais bonitas que você verá na sua vida, pode se preparar para tirar muitas fotos.

Um celular com GPS para não se perder no caminho, indico o uso do aplicativo Waze, por incrível que pareça, mesmo no meio do nada, a internet ainda funciona, nesse ponto tenho que tirar o chapéu para o Chile, a internet funciona bem em quase todos os lugares.

Se o tanque do carro não estiver cheio, encha antes de sair da região metropolitana de Santiago, entre ida e volta gastamos meio tanque, mas vale ir prevenido, nunca se sabe quantas vezes você irá se perder no caminho ou mudar ou esticar o passeio para conhecer outros locais na região.

 

Previsão do Tempo: 

Antes de planejar a viagem, consulte a previsão do tempo, no auge do inverno o caminho pode ficar inacessível, se tiver previsão de mau tempo, com neve ou chuva é melhor adiar ou cancelar o passeio, lembre-se que são subidas íngremes em estrada de cascalho no meio das cordilheiras, não tem a mesma manutenção das estradas que levam as estações de esqui do Vale Nevado, a neve na estrada pode ficar por dias. Se o tempo estiver bom, “só vai”.

 

 

  • Mariana Pfeifer

    Oi Bruno! Esse foi o melhor texto, mais direto e realista que li sobre esse passeio. To indo agora final de maio, tu acha que rola ir de carro até embalse? Será que a estrada vai estar tranquila? Valeu!